Posts

“O valor do resíduo e da consciência no consumo” – Confira o segundo dia dos Seminários em Ecodesign!

11297747_839136366169441_1183041688_n

Seminários em Ecodesign

No dia 11 de Junho foi realizado o segundo encontro dos Seminários em Ecodesign.

Tendo como  tema “O valor do resíduo e da consciência no consumo”, o evento teve a presença da  Mestre em geologia ambiental UFPR, especialista  consultora para implementação de estratégias para sustentabilidade corporativa e responsabilidade socioambiental, Ana Lizete Farias  e Luiz Reis, especialista em Arquitetura Bioambiental,  Luiz Reis ganhador do Prêmio Movelsul, IBAMA Madeiras Alternativas e autor de projetos como Ar Condicionado Natural e Casa Bioclimática, comentando em relação a questão do consumo e da geração de Resíduos a partir de suas áreas de especialidade.

Além da presença dos dois especialistas, a roda de conversa contou  também com a presença dos formandos no Programa de Especialização em Ecodesign, os designers Gabriel Garcez Duarte e Alexandre Linhares e da Arquiteta Daniela Teodósio, apresentando seus projetos na área de Ecodesign.

O evento abrangeu uma grande esfera de dimensões na qual a temática dos resíduos e da consciência em relação à questões socioambientais estão inseridas.

Luiz Reis, dissertou sobre a importância de se pensar em questões climáticas no processo de construção civil e como uma avaliação das condições ambientais pode impactar em uma maior ecoeficiência dos espaços construídos.  O especialista apresentou o projeto da Casa Bioclimática, comentando sobre os ganhos as vantagens em aproveitamento da luz do sol e os ganhos em energia térmica e iluminação que podem suplantar a necessidade de ar condicionado e aquecedor. A casa, que apresenta um visual arquitetônico arrojado e com linhas bastante acentuadas, foi toda calculada para se obter um maior aproveitamento possível da iluminação e condições térmicas. O projeto da casa propicia uma condição climática que dispensa o uso de aquecedores, ventiladores e ar condicionado.

casa_bioclimatica_110309

Luiz Reis e sua casa Bioclimática – Créditos da Imagem: Gazeta do Povo

Após a apresentação de Luiz Reis, foi a vez da mestre em Geologia Ambiental e especialista em Socioambiental, Ana Lizete, apresentar as relações entre consumo e Psicologia.

Ana fala da percepção das pessoas sobre os resíduos, de uma desconexão sobre os impactos ambientais da má gestão de resíduos. O resíduo, na perspectiva da natureza, não significa resíduo, é uma ‘construção’ feita pelo ser humano. Trazendo referências de grandes nomes da psicologia, como Sigmund Freud e Zygmunt Bauman, a especialista comentou também sobre o que é o consumo consciente, questionando a existência de uma real consciência de consumo e de como vem sendo utilizado como estratégia para se atender a determinadas necessidades não mais atendidas através de nossas relação com o mundo.

Ana Lizete em fogueira de Confraternização do grupo

Ana Lizete em fogueira de Confraternização do grupo

” Da mesma forma, o modo como tratamos nossos bens de consumo e o seu processo de produção, uso e descarte é semelhante com a forma com a qual nos comportamos e relação às pessoas. E ainda, que desaprendemos a cuidar e reparar produtos que se quebram ou envelhecem com o tempo, nossas relações sociais também estão cada vez mais frágeis e efêmeras”

Além das palestras, tivemos também a apresentação do processo de desenvolvimento dos projetos dos alunos formandos do Programa de Ecodesign. O primeiro projeto, apresentado por Alexandre Linhares, trouxe como tema a Inovação Social e a História Contada, relatos através  da roupa apresentando sua marca Heroína, onde trabalha seguindo três pilares: valorização da cultura local, utilização consciente de matéria-prima, utilizar o suporte têxtil como plataforma de discussão. O Ecodesigner falou sobre sua última produção, apresentada no evento “Muitas Caries nesta Boca Maldita”, um desfile realizado no espaço de bastidores do palco do Teatro Guaíra, no qual, através de Gilda, personalidade marcante do cenário curitibano da década de 60 trouxe variados questionamentos a respeito da massificação da moda, a violência sobre transexuais e homosexuais, além de inúmeros conceitos, que fizeram de seu desfile uma grande representação de um novo momento para o cenário de moda.

Foto: Daniel Sorrentino / clix.fot.br - crédito obrigatório

Muitas Cáries Nesta Boca Maldita – Desfile de coleção 2015 por Alexandre Linhares, aluno do Programa de Ecodesign – Créditos da Imagem: Gazeta do Povo

Na sequência, ainda falando sobre moda, Gabriela Duarte Garcez apresentou dados sobre a problemática da indústria moda atual, principalmente em relação às metas para se otimizar o processo produtivo e aumentar o lucro das empresas, trazendo graves consequências para a natureza, a água, a qualidade de vida e valorização do trabalho humano. Gabi mostrou dados sobre a exploração de jovens e mulheres no trabalho ‘escravo’, em diversos países da Ásia e África, aspectos que não são visíveis quando a roupa é comprada em grandes lojas urbanas à preços módicos. Apresenta proposta de solução para a desvalorização da mão de obra humana e os impactos socioambientais cometidos por esta esfera de economia, a Moda Ética, que tem como princípios a valorização e transparência da cadeia produtiva, aplicando-se na prática, em produtos comercializados por ela, na loja, a Album Design Hits.

Gabi, falando sobre a Moda Ética, e a importância de valorizar o produto e a cadeira produtiva e seres por trás da roupa

Gabi, falando sobre a Moda Ética, e a importância de valorizar o produto e a cadeira produtiva e seres por trás da roupa

Em seu espaço, no qual também faz parte a loja de discos de seu companheiro, Vinil Velho, “com base nos valores éticos dos seus proprietários, o local visa contribuir com o Design e seu entorno socioambiental, trazendo uma comunicação atual e compassiva que aproxima e conecta mais as pessoas”.

Segundo a Designer, que atua como professora na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, seu projeto pretende conscientizar o consumidor socialmente e valorizar o Design de Moda como um todo, tendo como ponto de partida o varejo e a experiência em comprar roupas.

Para concluir as apresentações, Daniela Teodósio, Arquiteta e Especialista em Gerenciamento de Obra, trouxe como tema os impactos da geração de resíduos da Construção Civil. Através de dados sobre os impactos gerados pelos RCC – Resíduos da Construção Civil e RCD – Resíduos de Construção e Demolição, Daniela mostrou como a “extração massiva de recursos para a utilização na construção civil não contempla o tempo de resiliência do planeta”. A arquiteta, que também é professora universitária, apresentou algumas iniciativas na área, como a reciclagem desta categoria de resíduos, iniciativa que, mesmo com utilização em máxmo potencial, contemplaria apenas o equivalente à 1% do total de resíduos gerados, somente em nosso país.

Como proposta de solução para a questão dos resíduos, Daniela está desenvolvendo o “Design para Desconstrução – Um espaço para a colaboração Coletiva. O projeto visa “transformar a ideia de uma construção civil DESTRUTIVA e passar a contribuir CONSTRUTIVAMENTE com a própria cadeia produtiva” e “elevar a condição do resíduo em recurso” , evitando o desperdício do recursos já retirados da natureza” através de um “Espaço de comunicação e troca de produtos específicos  fomentando a Autogestão e Autoresponsabilização pelo que for realizado. Uma dos comentários em relação ao projeto foi sobre a possibilidade de se estabelecerem parcerias com diferentes stakeholders envolvidos com a temática, colocando o projeto como uma oportunidade das empresas atenderem à demandas da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que traz como uma das exigências a serem cumpridas pelas empresas, a Responsabilidade Compartilhada pela Logística Reversa dos produtos comercializados.

Daniela expondo sobre resíduos da Construção Civil e formas alternativas de solução

Daniela expondo sobre resíduos da Construção Civil e formas alternativas de solução

O seminário, que trouxe grandes debates, serviu de boa inspiração para a finalização dos projetos dos formandos no programa. A apresentação final dos projetos aconteceu nos dias 25 e 26 de Junho, das 19:00 às 22:00 na UPE – União Paranaense dos Estudantes – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1157 São Francisco – Curitiba

Novo evento está agendado para o dia 27 de agosto, das 19 às 22 horas, no IBQP. O evento será gratuito e as inscrições podem ser feitas através do contato@designaovivo.com.br

O endereço do IBQP é R. Dr. Corrêa Coelho, 741 – Jardim Botânico, Curitiba

Todos são bem vindos!